“LEITE MATERNO vs FÓRMULA INFANTIL: sem combate”

Na POSTAGEM COLETIVA: Para o bebê, o melhor leite é o da mãe , não podemos deixar de falar nas diferenças entre essas duas substâncias, além do fato de uma ser natural e a outra ser artificial.
“Tradução de um trecho do artigo SUCK ON THIS, de Pat Thomas, da revista The Ecologist, abril/2006 por VERA FALCÃO

O leite materno é um alimento vivo que contém células vivas, hormônios, enzimas ativas, anticorpos e, pelo menos, outros 400 componentes singulares. É uma substância dinâmica e a composição da mesma muda do início ao fim da amamentação e de acordo com a idade e as necessidades do bebê. Por fornecer também imunidade, o bebê alimentado ao seio recebe proteção contra doenças, continuamente.
Comparada a essa miraculosa substância, o leite artificial – comercializado como “fórmula infantil” – é um pouco mais que “junk food”. É também o único alimento industrializado que os seres humanos são incentivados a consumir, com exclusividade, por um período de tempo; justamente quando sabemos que nenhum organismo humano espera manter-se saudável e ter êxito com uma dieta constante de alimentos processados.
Tabela de comparação entre leite materno e fórmula infantil, quanto aos elementos componentes:
Gorduras Leite Materno: rico em ômegas-3, construtores do cérebro, a saber, DHA e AA; ajusta automaticamente essa gordura às necessidades da criança, os níveis diminuem quando o bebê cresce;rico em colesterol, quase completamente absorvido; contém a enzima lipase, que atua no sistema digestivo, transformando gorduras em ácidos graxos e glicerol.
Fórmula: não contém DHA, colesterol e lipase; não se ajusta às necessidades da criança, nem é completamente absorvida.
xxxxxCOMENTÁRIOS: O mais importante nutriente é o leite materno. A ausência de DHA e colesterol na FI vai predispor a criança a ter na idade adulta doenças do coração e sistema nervoso central. O restante da gordura não absorvida contribui para as desagradávies e mal-cheirosas evacuações dos bebês alimentados com FI.
Protéina Leite Materno: soro leve e facilmente digerível; mais completamente absorvida e mais ainda no leite das mães que tiveram prematuros; contém lactoferrin, proteína que atrai o ferro e que mantém o intestino saudável;contém lisozima, enzima antibacteriana;rico em proteínas construtoras do cérebro e do corpo; rico em fatores de crescimento, proteínas que controlam o crescimento, a divisão e maturação de células e tecidos; contém proteínas indutoras do sono.
Fórmula: difícil digestão da caseína; não completamente absorvida, então mais desperdício, dificultando o trabalho dos rins;pouca ou nenhuma lactoferrin; sem lisozima, proteínas construtoras deficientes ou em baixa; deficiência em fatores de crescimento; contém proteínas indutoras do sono em menor número que o LM.
xxxxxCOMENTÁRIOS: Crianças não são alérgicas a proteínas do leite humano.
Carboidratos Leite Materno: rico em oligossacarídeos, os quais promovem a saúde do instestino.
Fórmula: sem lactose em algumas fórmulas.
xxxxxCOMENTÁRIOS: lactose é importante para o desenvolvimento do cérebro.
Imunizadores Leite Materno: milhões de glóbulos brancos (leucócitos), em cada mamada; rico em imunoglobulina.
Fórmula: sem glóbulos brancos ou outro tipo de célula; sem benefícios de imunidade.
xxxxxCOMENTÁRIOS: o leite materno providencia ativa e dinâmica proteção contra infecções de todo o tipo; pode também aliviar uma série de problemas externos de saúde, como conjuntivite e assaduras.

Vitaminas e Minerais Leite Materno: maior absorção; ferro é absorvido de 50-75%;contém mais selênio (antioxidante);

Fórmula: não absorvidas satisfatoriamente;f erro é absorvido de 5-10%;contém menos selênio que o LM.
xxxxxCOMENTÁRIOS: os nutrientes na fórmula são absorvidos de forma pobre. Para compensar isso, mais nutrientes são adicionados a ela, fazendo com que a digestão fique difícil.
Enzimas e Hormônios Leite Materno: rico em enzimas digestivas, como a lipase e amilase; rico em vários hormônios, tais como, o da tireóide e os da pituitária; proporciona experimentar variedade com a dieta da mãe, dessa forma ajudando a criança a adaptar-se àcultura alimentar.
Fórmula: o processamento mata as enzimas digestivas;o processamento também mata hormônios, que nem são humanos, a princípio; sempre tem o mesmo sabor.
xxxxxCOMENTÁRIOS: enzimas digestivas promovem a saúde do intestino; hormônios contribuem para o balanço bioquímico e o bem-estar do bebê.
CUSTO na UK (Inglaterra), o NHS (Serviço Nacional de Saúde) gasta 35 milhões de libras cada ano só tratando de gastroenterites de bebês que tomam mamadeira. No US (EUA), companhias de seguro-saúde pagam 3.6 bilhões de dólares para tratamento de doenças com os bebês assim alimentados.

46 Responses

Write a Comment»
  1. paola oliveira

    Impressionante.
    Nada a comentar.

  2. Claudinha

    Realmente, não há motivo que justifique abandonarmos o leite materno.

  3. Milla Rúbia

    Cada espécie animal c/ seu leite específico. Estudo esse assunto há 9 anos… …sou Eng.ª de Alimentos e desenvolvo produtos, dentre eles,algumas formalações FUNCIONAIS para crianças.Nós, as cuidadoras das crianças do futuro, devemos ser muito SELETIVAS com aquilo que elas absorvem pela mente e pela boca!!

    Parabéns pelo BLOG!! SAÚDE e PAZ.

    Milla Rúbia

  4. Ana,
    excelente artigo!!!
    Amamento a Bia com leite materno e artificial desde 1 mês e meio. Quando se recomenda amamentar exclusivamente com leite materno até os 6 meses, quais são as implicações para o bebê que é amamentado também com leite artificial? Tenho essa dúvida, achava que fosse pelo fato do bebê rejeitar o peito (o que não foi o caso da Bia que mama bem tanto no peito quanto na mamadeira) mas tenho medo de ter algum outro problema…
    Beijos

  5. eu fico chocada ao passar pelas ruas aqui de new jersey e observar mães com bebes bem pequenos, seus peitos cheios de leite, e elas enfiando fórmulas nos bebês, sabe pq? Aqui o povo não “gosta de ver” mulher de peito de fora amamentando, acham indecente, desrespeitoso. heim?
    e dar fórmula a um filho também não é?
    mas isso é cultura aqui, se por um lado a maioria dos partos são naturais, depois as mulheres não amamentam naturalmente, e para mim isso não tem sentido. Se começou certo, pq não continuar no caminho certo então?
    mistérios da vida americana.
    bjks

  6. Nossa Ana Cláudia, muito interessante esse artigo, fala de um ponto de vista que eu nunca tinha pensado. É uma boa reflexão, vou linkar lá no meu blog, tá?
    beijo

  7. erika

    já estava arrasada por não estar conseguindo amamentar… agora então… quero sumir!

  8. Rosane

    MENTIRA ! Nos EUA ha muitas mamaes que dao leite materno ,porem por comodidade elas tiram na bomba de 200 dolares e deixa armazenado pro baby.
    Ridico e ver as pessoas dando mamadeira a crianca e achar que e formula ou achar que nos EUA so teem gordos ,e o Brasil so tem indio !

    PELO AMOR DE DEUS !!! Moro nos EUA ha anossss,e 80% das mamaes que conheco dao Leite materno aos bebes

  9. Viviane

    Assim como a Érika, não consegui amamentar meu bebe somente com LM e estou me sentindo muito mal (achei que fosse impossível sentir pior do que eu já estava) ao ler este artigo. Qual sugestão vc dá para mães que não conseguiram amamentar seus filhos? ??

  10. Viviane, nós mulheres, hoje em dia somos muito mal orientadas e estimuladas ao consumo de tudo que é artificial. Acho que você não deve se culpar mas sempre procurar informar-se sempre daqui pra frente. Dependendo da idade de seu filho, procure saber se pode retomar a tentativa da amamentar. Caso não seja possível , procure sempre informações a respeito dos alimentos. É complicado saber o que é melhor, separar o joio do trigo. Usar o nosso bom senso é fundamental.

  11. Bianca

    oi Erika, você precisa de uma ajuda para amamentar? Sou consultora em amamentação, caso esteja no RJ me liga no 8877 9834 ou manda email p/ bianca@possoamamentar.com.br
    Caso prefira um atendimento ao vivo e não esteja no RJ, procure o banco de leite mais próximo da sua casa.

  12. O incentivo à amamentação é um fato bastante recente, provavelmente, devido ao surgimento de inúmeros problemas com a ingestão do leite animal pelos bebês (e, pior ainda, pelo leite de soja). Quando nasci, nos anos 50, minha mãe nem tentou me amamentar, já passou direto para o leite artificial que deixava as crianças “fortes e gordinhas”. Tenho um folheto muito interessante dessa época, com indicações detalhadas do pediatra sobre a melhor maneira de preparar as mamadeiras e conservá-las, patrocinado pela fábrica de vidros Pirex, obviamente, interessada no comércio de seus produtos; meus pais me contavam que sentiam-se orgulhosos em mostrar às visitas um quartinho lotado de latas de leite Ninho que eu já havia tomado… rs… e ainda durante a década de 70, quando tive minha primeira filha, o pediatra indicou iniciar aos 4 meses o aleitamento artificial paralelo ao LM, além de sucos e papinhas doces e salgadas! E a maioria das mães contemporâneas a mim, não queriam amamentar pq “deixava o peito caído”… enfim, ainda bem que uma onda de retorno ao natural nasceu, em contrapartida ao aleitamento artificial estimulado pela indústria do leite em pó, principalmente. É tão estranho nosso filhote beber o leite da vaca quanto seria o bezerro alimentar-se do leite de uma fêmea humana…

  13. [...] This post was mentioned on Twitter by Futuro do Presente, Futuro do Presente. Futuro do Presente said: "LEITE MATERNO vs FÓRMULA INFANTIL: sem combate" http://tinyurl.com/255p7m8 #semanaamamentacao [...]

  14. Ana, amei seu rodápé deste post!!!!
    Também fiz igual…Bjkas!
    Obrigada pelas informações sobre o tema.

  15. Gabriela

    Minha filha tem 4 meses e vou voltar a trabalhar amanhã! Buááá!
    No meu local de trabalho não tem como retirar nem estocar meu leite. Estou estocando em casa, na medida do possível, porque minha filha mama tudo!
    Meu médico indicou 2 fórmulas apenas, que têm o mesmo nível de DHA e ARA que o LM, além de muitas vitaminas, são elas o SIMILAC e o ENFAMIL. Como estarei fora durante 3 mamadas de minha filha, uma ela vai tomar do meu leite e as outras duas de fórmula. Segundo ele, de acordo com os dois últimos congressos de nutrição infantil, essas fórmulas são muito mais ricas que sucos de laranja e papinhas para um bebê dessa idade. Porém o carro-chefe deve ser meu leite, e vou continuar amamentando até quando for possível. Vou garantir, além de outros benefícios, a imunidade de minha filha!

  16. Pai

    Ok, a importância do LM já está mais do que evidente, e as razões para que algumas mães não amamentem seus filhos também são conhecidas. O que eu gostaria de ler de vez em quando nestes textos e debates em prol da amamentação é um pouco de consideração e respeito pelas mães que não conseguem amamentar, ainda que busquem por toda a orientação disponível e utilizem todas as técnicas recomendadas. Acho que precisa ser incluído nestes artigos uma ou duas linhas dizendo claramente que ALGUMAS MÃES NÃO CONSEGUIRÃO AMAMENTAR. Existem razões físicas (redução de mamas mal executadas por ex.) e psicologicas para isso. Então, se não houvessem as fórmulas, o que daríamos para essas crianças ao nascer ? Arroz e Feijão ?

  17. Olá!
    Amamentação é um assunto delicado e muito complexo, ainda permeado de tabus… Defendo uma abordagem mais sensível, mais acolhedora. O incentivo é muito necessário, mas o extremismo está dando origem a muitas mãezinhas bem-intencionadas e frustradas porque não conseguem amamentar, na maior parte das vezes por falta de apoio.
    http://maeperfeita.wordpress.com/tag/amamentacao/
    Um beijo,
    Marusia

  18. Marusia,
    concordo com você mas é importante termos em mente que a situação está tão crítica com relação á falta de apoio e orientação adequada que , como diz minha amiga Renata Matteoni , tem horas que é preciso radicalizar. E são essas radicalizações que vão fazer as informações certas chegarem ás mães que precisam.
    Grande beijo!

  19. Pai, você tem toda razão.
    Contudo, o percentual de mães que de fato tem problemas para amamentar é muito pequeno em relação àquelas que conseguem retomar a amamentação após orientações adequadas. E isso é que faz os equivocos maiores acontecerem prejudicando invariavelmente a saúde do bebê e fórmulas serão administradas em todos os casos, independente da real necessidade delas.

  20. Gabriela, que difícil momento este não? Posso te fazer uma pergunta? Fique à vontade em não responder? Se pudesse, ficaria em casa mais tempo? Ou não, sua carreira é importante e nâo cogitou correr risco de ficar para trás profissionalmente se ausentando mais que o tempo regulamentar? Não irei te julgar, apenas é uma pergunta que sempre faço a todas as mães para conhecer melhor o universo da maternidade como um todo e com todas as suas nuances e diferenças entre cada mãe. Beijos.

  21. Que bom que gostou! è pra copiar mesmo! :)

  22. Pois é Vera, somos os únicos que “mamam” da vaca e ainda uma vida inteira.Fala pra alguém que você ou seu filho não consomem leite? é uma cara de horror…rs…

  23. Jo

    O problema é q existem mtas maes q NÃO querem amamentar…entao é otimo q existam essas formulas! So q ao meu entender, a maior parte da populaçao nao é a favor da amamentaçao! Quem nunca foi questionada sobre o porquê nao dar mamadeira, é tao mais facil!! Eu ja ouvi essa pergunta varias vezes!! Ja me disseram até que era uma pena meu filho so mamar no peito, pq assim ele nao pode ficar com ninguém p eu poder sair, resolver coisas etc, que assim so dava p ele ficar comigo! Ja me sugeriram cha e chupeta…Eu nunca parei nenhuma mae na rua p questionar porque usa mamadeira, ou disse ter pena do bebê por ele usar chupeta…Acho q esse tipo de campanha é p atingir os pitaqueiros de plantao e nao as maes que nao puderam ou quiseram amamentar é tb p conscientizar futuros pais p que nao desistam, tentem, insistam! Pitaqueiros falam sem saber, tiveram sua chance de amamentar e nao aproveitaram e vem se meter nas vidas de quem amamenta!

  24. Luísa

    Obrigada por tornar meu sofrimento ainda pior, meu e provavelmente de outras mães que não podem amamentar (diferente de “não querem amamentar”). Poxa vida, eu estava apenas pesquisando sobre fórmula infantil quando me deparei com esse link e, de curiosa, entrei. Fiquei muito chateada. Eu tenho depressão e sofro de crises de ansiedade há uns 5 anos, por isso tomo muitas medicações e faço terapia 2 vezes por semana. Consegui ficar na gravidez (inesperada!) sem tomar ansiolíticos e afins, e segurei o 1º mês do meu filho para poder amamentá-lo. Lendo esse seu texto, estou me sentindo um lixo. A sensação de estar fazer algo criminoso quando não se tem opção é a pior, ainda mais quando se refere a um bebê que merece o melhor e eu não posso oferecer porque preciso cuidar de minha saúde mental para poder cuidar dele.

    Enfim, são campanhas “xiitas” assim que me deixam com o terrível sentimento de culpa. Aff.

  25. Luísa,

    eu lutei muito para ter um parto normal. Muito. Não tive. Foram duas cesáreas.
    Mas dei o melhor que pude de mim. Poderia ter feito mais? Poderia. Mas naquele momento, dei o melhor que tinha para oferecer dentro das minhas limitações. Sim, todos temos. Este texto, existe independente da sua vontade ou da minha. Ele é uma realidade independente das suas limitações, ou das minhas. Não podemos fingir que a realidade não existe porque isso fere nossos sentimentos.
    Se você não pode amamentar, se deu o seu melhor dentro das suas limitações, a fórmula está aí para isso. O problema é quando a fórmula é administrada sem que haja empenho em tentar amamentar, quando a substituição é feita como se fosse a mesma coisa.

    Eu não tive minhas cesáreas, e na minha história, tem coisas que foram de minha responsabilidade, outras não. O importante é que dei o meu melhor. e sigo minha vida sem essa culpa.

    Dê o seu melhor e siga sem culpa.

    Beijos.

  26. Pois é, Jô!
    Acho engraçado demais a gente que defende a coisa certa, a coisa natural, a coisa mais barata, mais prática, ser taxada de xiita e pior, alternativa. Alternativo é o artificial. Que agora é aceito e usado como regra. Vamos seguir semeando!

  27. Renata Pedrini

    Desde o primeiro momento da vida do meu filho, agora 5 meses, amamentei. Ele mamou no momento em que nasceu. Sofri bastante na primeira semana com as fissuras, mas foi uma das coisas mais incríveis da minha vida. Não tem explicação a sensação que a amamentação proporciona. Só que aos 4 meses, a produção de leite começou a diminuir. Ofereci mais frequentemente, ordenhava entre as mamadas para estimular, usei Plasil (que funcionou, mas meu filho teve reação a metoclopramida), e aos 5 meses parei de amamentar. Sou médica, e, sabendo da importancia da amamentação, não tanto pela alimentação, mas muito mais pelo vínculo, fiquei muito angustiada, como se estivesse deixando de cuidar do meu filho; não me considerava uma boa mãe. Mas eu fiz tudo que podia. Concordo mesmo que é muito melhor o leite materno do que fórmula, e que a relação mãe-bebê se estabelece muito mais rapidamente. Mas do jeito como as coisas são postas faz parecer uma crueldade tamanha não dar o peito. Mas é fato que algumas mulheres não conseguem amamentar e ponto. É preciso livra-las da culpa e do sentimento de incompetencia. Há de se glorificar sim o leite materno, e suas incomparáveis vantagens, mas de forma menos radical.

  28. Renata,

    tenho uma amiga querida de mesmo nome que o seu que me disse uma vez e nunca esqueci: tem horas que precisamos radicalizar….rs

    No que se refere à falta de apoio ao parto normal e à amamentação, a coisa é tão crítica que precisamos radicalizar para que as pessoas acordem para a importância e para a humanização desses processos fisiológicos do nosso corpo.
    Eu lutei muito para ter partos normais e não tive. Foram duas cesáreas. Foi uma luta minha e dei o melhor que tinha para oferecer naquele momento. Ouvi de algumas pessoas ligadas ao parto natural que eu fui fraca. Mas não pense que isso me aborreceu. O importante é como eu me sinto, não importa o que a pessoa pense, a verdade, eu sei qual é.

    E projeto este meu pensamento para casos de amamentação como o seu: a verdade é sua, e ninguém pode dizer ou fazer você se sentir menos mãe.

    Entendo o que você coloca, mas as mães, que como nós tentam tudo são minoria e infelizmente precisamos falar sempre do quão importante são esses passos para os bebês e para nossa saúde também.

    Cada mulher fará sua escolha, a culpa está somente naquelas que só pensam em si mesmas e infelizmente, existem muitas que tem filhos e continuam a levar a vida olhando somente para seu umbigo.

    Triste isso, mas é uma verdade cruel deste mundo materialista que vivemos hoje.

  29. Olá,
    Muito bom o texto, eu sou mãe de um bebê que nasceu prematuro, com todo o estresse de UTI e tals… felizmente tive sucesso na amamentação, que começou no 5 dia de vida do Romeu. Também tive sorte quanto ao hospital que dei a luz e a presença de um banco de leite no mesmo, fui muito bem orientada! Já levei meu filho em 4 pediatras diferentes (até hoje não estou satisfeita), e todos recomendaram o reforço de vitamina e ferro, sendo que o primeiro falou que apesar do leite materno de uma mãe de prematuro ser mais enriquecido nessa substância citada. Logo questionei o pediatra da real necessidade da vitamina e do ferro, todos aconselham que seja dado para que o bebê não fique anêmico (!!!), acho um contra-censo e de fato não dei. Hoje meu filho ainda está um pouco menor que a média, mas na última consulta cresceu e engordou “acima do normal”, e de novo reiterei para o pediatra que não dava a vitamina e nem o ferro, e que não vou dar, já que o meu leite é naturalmente enriquecido.
    Isso para mostrar a necessidade de questionarmos os pediatras e tuuudo que eles receitam para uma criança que já está bem e saudável.
    Outro ponto que acho altamente questionável mas que não escuto nada a respeito: a necessidade de iniciar a alimentação aos seis meses. Perguntei ao pediatra se todos os bebês necessáriamente precisam se alimentar com 6 meses (fora o leite) e ele disse que sim, “existem estudos”, beleza! Mas se todos os bebês são diferentes, com desenvolvimentos diversos, como que todos precisam iniciar a papinha pontualmente aos 6 meses???

  30. CARLA

    Acho que o leite materno é com certeza o melhor alimento para os bebes. Todas as maes que podem deveriam dar exclusivamente aos seus filhos.
    Mas nao posso ser totalmente contra o leite formula, pois foi criado para complementar ou ser exclusivo para uso em bebes em que as maes nao conseguem ou nao podem amamentar. Nao acho legal ser radicalmente contra e criticar as maes que usam o FI. Eu por exemplo, meu leite comecou a diminuir, sem causa aparente, logo no primeiro mes do meu filho. Tive que comecar com o FI pois ele estava perdendo peso. Eu tirava com a bombinha toda vez para estimular a producao.
    Mas mesmo assim, hj com dois meses, so dou o peito 3 vezes ao dia, nas outras mamadas dou FI.
    Eu nao gostaria que fosse assim, eu sei mto bem dos beneficios do LM. Comecei a me sentir culpada, e as vezes ainda me sinto.
    Mas sei que nao esta acontecendo por minha vontade.
    Por isso, nao critico quem oferece o FI aos seus bebes, nao como comodidade, mas por necessidade.
    Antes de alguem falar mal, criticar ou meter fogo em uma mae que da FI, pare e pense. Se vc pode amamentar seu bebe somente com LM, otimo, parabens! Mas pense o pq que algumas mais nao podem e tem que da FI.

  31. CARLA

    E sobre as vitaminas que os pedi receitam, como o AD TIL, eu dou para o meu filho. Se foi criado e os pedi recomendam, é por algum motivo. E mal nao faz! Nao quero que depois aconteca alguma coisa e eu ache que foi por eu nao dar as vitaminas. Mesmo que eu desse LM exclusivamente, eu daria as vitaminhas.
    A mulher foi craida para gerar e dar a luz naturalmente, de PN. Mas o corpo da mulher foi mudando aos pouquinhos, ficamos sedentarias, comemos produtos industrializados…e uma serie de fatores que transformou nosso corpo por dentro e por fora. Hoje o PC eh mais segura pra nos mulheres e para o bebe, evita o sofrimento fetal. Quem consegue o PN com facilidade, logo que deve tentar.
    Estou dizendo tudo isso pra dizer que as necessidades nossas tambem vem mudando, inclusive dos nossos babies.
    Por isso dou as vitaminas sem medo.

  32. Ana, post perfeito! Já compartilhei. Farei o meu mais tarde. Espero sua participação também na blogagem coletiva “O que é consumo consciente pra você?” Beijão!

  33. [...] “LEITE MATERNO vs FÓRMULA INFANTIL: sem combate”(Futuro do Presente) [...]

  34. Carol, este texto é maravilhoso, né? Olha, o post para a blogagem coletiva do Portal what Mommy needs sai hoje, espero que goste! Beijos!

  35. Carla, temos que sempre tomar cuidado com os produtos industrializados por causa do excesso de açúcar, corantes, conservantes e flavorizantes, principalmente os voltados para as crianças. No caso das vitaminas, a mesma coisa: não é natural, devemos usar com moderação.

  36. Carla, o problema é o uso indiscriminado que é a maioria dos casos…se não me engano, menos de 20% da população é amamentada. Isso é o caos…quando deveria ser uma excessão. Fruto da banalização da fórmula que , além de tudo, é cara, muito cara.

  37. Marie

    Concordo que benefícios da amamentação já estão mais que comprovados mas acho que as pessoas estão radicalizando sim em relação a esse assunto. Pude notar uma diferença muito grande na abordagem por viver no Japão, onde a mãe não é julgada por oferecer fórmula ao seu filho. Aliás, já no hospital a equipe médica até esclarece como deve ser feita a alternância entre Fl e LM se a mãe assim o quiser. Claro que como mãe ciente dos benefícios do LM para a criança adoraria alimentar meu filho com leite materno exclusivo até os 6 meses, mas infelizmente a realidade das mães que precisam voltar a trabalhar é outra. Eu acho um absurdo essas campanhas a favor da amamentação exclusiva na TV usando atrizes globais falando que o filho só mama leite materno, já que a mulher real de hoje na maioria das vezes tem que voltar a trabalhar com o bebê ainda com 4
    meses de idade. A Juliana Paes é rica, se quisesse nunca mais voltaria a trabalhar, já a mãe comum que trabalha na padaria da esquina tem que voltar a trabalhar com o filho de 4 meses se não fica desempregada e só se tiver muita sorte conseguirá outro trabalho. Estou me referindo a mulheres que precisam trabalhar fora por questões financeiras, e não a mulheres que ainda tem a opção de escolher entre a carreira e o cuidado com o filho. Eu voltei pro trabalho com meu bb aos quatro meses, e por saber que ele precisaria se adaptar ofereci fórmula desde os 2 meses intercalada ao LM e não me sinto nem culpada e nem menos mãe do meu filho por isso. Acho sim que no Brasil estão radicalizando em relação a amamentação e que as mães que por um dos vários motivos que existem para abandonar o aleitamento antes do tempo determinado o fazem se sentem mal com isso, não só pelas campanhas como pelo julgamento das pessoas que seguem à risca essa recomendação sem ao menos questionar nada. Outra questão com a qual me deparo é a financeira. A fl específica para o recém nascido no Brasil é muito cara se comparada com preços em outros países do mundo. Uma outra questão é que quando são mostrados índices comparativos sobre a saúde de bebês alimentados com LM e fl são sempre pesquisas feitas em países em desenvolvimento. Nunca são mostrados índices em países desenvolvidos. Será que o fundo real deste radicalismo todo não estaria num certo temor dos órgãos de saúde de que as mães que não amamentam não consigam comprar o leite adequado para o seu filho por questões financeiras e isto o leve a ficar doente tornando mais caótico o sistema de saúde nacional ? Chego a me perguntar isso, pois aqui no Japão nenhum profissional de saúde ou pessoa comum julga um mãe por não amamentar, mas o sistema de saúde aqui é perfeito. Primeiro, as mães recebem do governo um valor mensal que é suficiente para cobrir despesas de fl e fraldas e depois que a criança só vai começar a pagar consultas e remédios depois dos 6 anos. Até esta idade ela será assistida por qualquer clínica ou hospital do país sem pagar NADA. Talvez pela impossibilidade de assistir um bb nestes termos no Brasil e em outros países em desenvolvimento massacram as pessoas com radicalismo como se faz nestas campanhas e mães que não conseguem amamentar ficam se sentindo um lixo como li em alguns comentários aqui. A questão é: LM é importante ? sim, muito, tá mais do que provado. Mas não precisa ficar se sentindo culpada se por algum motivo não consiga amamentar. A fl, se adequada para idade do bb tb alimenta. Cada um é quem sabe das suas necessidades e motivos.

  38. Marie

    É que nos EUA, como aqui no Japão, por uma questão cultural que respeito, as mães evitam expor os seios em lugares públicos no momento da amamentação e acabam ordenhando e oferecem o leite em mamadeiras.

  39. Mari

    Este texto esta totalmente desatualizado. que vergonha. E trata como as mães que não conseguiram amamentar.

  40. Paula

    Por insistir no aleitamento materno, meu filho ficou quase um mes sem recuperar o peso do nascimento (mesmo dando complemento). Quando olho para trás e vejo suas fotinhas, tao magrinho e indefeso, me dá um arrependimento… voltaria no tempo e já teria dado leite artificial desde a primeira semana. Existem pessoas que nunca tiveram problema para amamentar, que acham que tudo sao flores e poesia, talvez até se achem super maes… depois do que eu passei, acho que devemos repensar ao escrever artigos como estes.

  41. Fernanda

    Como nutricionista e agora mãe, sempre fui contra fórmulas infantis, mas tb como a Paula, vi minha filha perder peso a cada consulta ao pediatra, tentei dar o peito a minha filha por quase 1 mês e ela perdeu 20% do seu peso quando nasceu, não acho justo julgar as pessoas, cada caso é um caso, sou a prova viva de que nem sempre é possível o aleitamento exclusivo, este artigo me deixa extremamente triste, já me sinto culpada o suficiente por não conseguir amamentar minha filha, sei de todos os benefícios do leite materno, mas infelizmente não consegui este mérito.

  42. carolina

    concordo com a Paula. Tudo sao flores para quem nunca precisou dar formulas. Facil falar, dificil é ver seu filho chorando desesperado de fome e vc nao ter leite. Dei formula no segundo dia de vida do meu filho, pois nao suportei ve-lo chorando tanto de fome. E OUVI DE VARIAS ENFERMEIRAS QUE ELE PODERIA FICAR SEM MAMAR ATE 72 H. MEU DEUS, QUEM TEM CORAGEM……

  43. Lorena Costa

    Ola a todos,

    Eu moro na Nova Zelandia tive meu lindo filhinho parto normal (aqui nao e igual no brasil onde a maioria da mulherada e dos medicos preferem ter/fazer cesaria) Concordo que o leite materno e o melhor alimento para o bebe e o mais rico em vitaminas e natural, meu filho foi amamentado ate os 4 meses com leite materno ele tinha um refluxo Horrivel o leite materno nao parava no estomago dele, ficou internado no hospital por uma semana por causa disto e nao estava colocando peso, isto por volta do 2 meses de idade, entao o que fazer depois de tentar muitas posicoes para amamenta-lo e nada funcionava ele sempre vomitava o LM decidir dar formula e a formula ficava no estomogo dele e sabe o que aconteceu depois da formula? Ele comecou a colocar peso e crescer saudavel pois e minha gente Deus deu inteligencia ao homem para ser usada…continuei amamentado LM ate os 4 meses junto com a formula, vejo tanto casos de maes que insistem dar o LM sendo que as vezes nao so o suficiente, e insite em continuar a pobre da crianca nao se desnvolve bem ai depois nao sabe o que foi. AH!! e aqui tambem vc nao ver as mamaes amamentando seus filhinhos em qualquer lugar amamentacao e algo intimo entre voce e seu bebe muitos lugares aqui tem sala de amamentacao para bebes, e eu quando saia de casa tirava na bomba ou iria para a sala de amamentacao e so no Brasil que se ver peito para a fora em tudo quanto e lugar. AFF!! Nos estamos em 2012 o mundo evoluiu! Para as mamaes que nao conseguiram amamentar nao se sinta mal, tenho certeza que voces tentaram!!

  44. [...] pode ser um tabu porque isso faz parte da vida, da natureza dos seres humanos. Somos mamíferos. O leite materno contém nutrientes exclusivos que somente a mãe pode passar para ele. O leite materno está pronto, é prático e grátis. Num país como o nosso, com o custo que é o [...]

  45. Alana

    Bom, minha mãe não conseguiu me amamentar por não ter leite e desculpa, mas eu sou e sempre fui muito saudável, nunca tive nenhuma doença nem nada que me diferenciasse de outras pessoas por não tomar leite materno, tive uma bebe há 4 meses e amamentei até os 3 meses e agora não estou tendo mais leite, e ela está tomando Aptamil da danone, simplesmente perfeito, ela dorme bem, não tem problemas na digestão, muito pelo contrário, o organismo dela funciona direitinho e falei com o pediatra e ele disse que claro que o leite materno é a melhor opção, mas que a fórmula não deixa a desejar, aliás porque se fosse ruim para o bebe não estariam no mercado!!! Sou super a favor da amamentação, mas caso não seja possível, a única coisa que dói é no bolso pois são caros os leites, mas pelo menos o que eu dou é ótimo!

  46. Alana, a questão de estar no mercado não é garantia de que o produto seja bom. temos no decorrer da história vários exemplos como as mamadeiras feitas de Estanho no passado, o uso do raio x na gravidez, os adoçantes, o cigarro…. enfim…

Leave a Comment

Your email is never published nor shared.

(required)